Oficina Tecnológica Gratuita de Compostagem

Oficina gratuita do Projeto “Qualificação para a Sustentabilidadedo Programa de Engenharia Ambiental (PEA)

Local: Associação dos Moradores da Vila Residencial da UFRJ
Dia:  15, 18 e 20 de dezembro de 2023
Horário: 8 às 12 horas
Professores: Monica Pertel e Bárbara Grinberg Lauria
Vagas: 25

A compostagem segue um processo simples e que acontece naturalmente, quando se mistura folhas, restos de  poda, resíduos orgânicos úmidos, oxigênio e bactérias. No final do processo, temos um excelente composto para uso em hortas e jardins. Todo aqueles resíduos orgânicos que iriam parar nos lixões e vazadouros, agora geram renda e qualidade de vida para você. Mas para isso acontecer precisamos de alguns cuidados. Vamos aprender?

I Semana de Engenharia de Segurança – POLI-UFRJ

Participe da I SEGTRAB – Politécnica UFRJ!

A semana tem como objetivo introduzir a Engenharia de Segurança de forma prática e de fácil assimilação.

Seja você um futuro estudante em potencial, alguém curioso sobre a área ou simplesmente interessado em conhecer mais sobre a Engenharia de Segurança, essa é uma ótima oportunidade para entender melhor o curso, conhecer alguns professores e descobrir como essa área pode moldar o seu futuro profissional.

Marque presença no evento, totalmente online e gratuito, e dê os primeiros passos em direção a uma carreira promissora em Engenharia de Segurança!

Inscreva-se e participe de todos os dias do evento para garantir o certificado do curso de 8h complementares emitido pela UFRJ.

🔗 Mais informações sobre o evento e Inscrição em: https://www-gestore-poli-ufrj-br-3.rds.land/semana-da-seguranca-do-trabalho-da-ufrj

Babi na Era do Rádio – Proart na Politécnica

Babi na Era do Rádio é um espetáculo de ficção sobre a obra da compositora Babi de Oliveira.

O espetáculo foi inspirado em um documento encontrado no acervo Hermelindo Castelo Branco: um roteiro onde Babi de Oliveira atuou com suas músicas junto ao radialista Maurício Quadrio na Rádio Ministério da Educação.

As obras selecionadas, também encontram-se no mesmo acervo, entretanto a inspiração do espetáculo surgiu da publicação Babi de Oliveira, O que fui? O que serei? de Vânia Maria dos Guimarães Alvim.

Nascida em Salvador em 23 de dezembro de 1908, foi iniciada na música pela sua mãe, Maria Isaura Leite Oliveira, que era pianista e formou-se pelo Instituto de Música de Salvador em novembro de 1927. Babi passou todo o início de sua vida em Salvador e a diversidade cultural e religiosa estiveram presentes em sua formação.

Casou-se em Salvador e, após a separação, decidiu mudar-se para tentar a vida no Rio de Janeiro, em 1940. No Rio, casou-se uma segunda vez entretanto este casamento também Rui. Babi viu-se com a responsabilidade de criar suas filhas, lutando contra o preconceito da época.

Ainda assim, lutou para manter sua carreira de pianista e compositora que começou a deslanchar. Aproximou-se das Rádios, buscando sobreviver, trabalhando como atriz, produtora e compositora das radionovelas na década de 1950. Além desta rádio, Babi também trabalhou na Rádio Tupi, Rádio Guanabara e Radio Mayrinky Veiga, Rádio Mauá e Rádio Ministério da Educação.

Neste período atuou com Cauby Peixoto, Elizete Cardoso, Maria Sylvia Pinto, Tarquínio Lopes, Hermelindo Castelo Branco, entre outros. Para termos uma idéia da grande produção destas rádios, na década de 50 foram irradiadas 861 tele-novelas apenas na Rádio Nacional, com transmissão para todo o Brasil.

Em sua torne para o Brasil, o cantor estadunidense Nat King Cole conheceu a música de Babi e cantou a peça Caboclo do Rio no Maracanazinho, obra que gravou também pela Odeon. Em 1980, Babi recebeu o diploma de distinção pelos serviços prestados à Música concedido por Cambridge, na Inglaterra, tendo seu nome sido inscrito no The Internacional Who ́s Who in Music. Babi faleceu em 16 de janeiro de 1993 no Rio de Janeiro.


GRUPO AFRICANIAS


O grupo Africanias é uma ação coletiva de formação de cantores integrados ao Grupo de Pesquisa Ensino e Extensão Africanias UFRJ que, por sua vez, propõe levantar saberes africanos, indígenas e afrodiaspóricos cujas presenças evidenciam-se na composição da música brasileira, tanto no âmbito do lexical, quanto textual e musical, divulgando-os em recitais-palestras.

O grupo é formado por extensionistas (iniciantes), graduandos e pós-graduandos, em diferentes fases da formação do cantor, entendendo que, é exatamente esta diversidade de níveis de aprendizado que possibilitam o desenvolvimento vocal, favorecendo a formação do estudante de forma dialógica.

O Africanias promove o compartilhamento de saberes entre diversos grupos de pesquisas, pesquisadores independentes e músicos dando visibilidade à contribuição do legado africano e indígena na cultura brasileira.

O Grupo Africanias existe desde 2015. Este projeto apoia-se nas leis 10.639 de 2003 (da obrigatoriedade do ensino de história e cultura afro-brasileira) que este ano completa 20 anos e na lei 11.769 de 2008 (da obrigatoriedade do ensino de música na educação básica) que completa 15 anos.


FICHA TÉCNICA

  • Direção Geral: Andrea Adour
  • Roteiro adaptado: Andrea Adour e Paulo Maria
  • Direção Cênica: Paulo Maria
  • Arte gráfica: Raffael Uchôa
  • Figurinista: Carlos Almeida
  • Elenco/Pianista: Silas Barbosa (como Hermelindo Castelo Branco)
  • Elenco/Cantores:
    – Dhuly Contente (como Maria Sylvia Pinto)
    – Eduardo Cabral (como Tarquínio Lopes),
    – Jonathan Dias (como Eugênio Gomes)
    – Moisés Hills (como Jorge Fernandes)
    – Paulo Freitas (como Raimundo Neto),
    – Paulo Maria (como Maurício Quadrio)
    – Raffel Uchôa (como Luis Bruno)
    – Saulo Laucas (como Nelson Simas),
    – Silviane Paiva (como Babi de Oliveira)
  • Grupo de Ensino, Pesquisa e Extensão Africanias UFRJ
  • Coordenação: Andrea Adour
  • Vice-coordenação: Antonilde Pires.

XI Semana da Engenharia Nuclear da Politécnica-UFRJ começa no dia 28/11

Com o tema “O passado, presente e futuro do setor nuclear”, a Escola Politécnica da UFRJ e a Coppe/UFRJ dão início no próximo dia 28 de novembro à XI Semana da Engenharia Nuclear (SEN). O encontro anual busca proporcionar a integração e o debate entre os setores relacionados à Engenharia, Física e Energia Nuclear do país, além de ser uma oportunidade para propagar o conhecimento do setor nuclear junto à sociedade, através de palestras, painéis e minicursos. As atividades serão abertas ao público e ocorrem no Centro de Tecnologia da UFRJ, na Ilha do Fundão.

Organizada por alunos de graduação em Engenharia Nuclear do Departamento de Engenharia Nuclear (DNC) da Escola Politécnica, a programação prevê debates a respeito do tratamento de rejeitos nucleares; impactos do acidente de Goiânia; técnicas nucleares aplicadas à obras de arte; reatores de 4ª geração; e o ciclo dos combustíveis nucleares.

Entre os palestrantes convidados estão Leonam dos Santos Guimarães, ex-CEO da Eletrobrás Eletronuclear; Patricia Wieland, presidente do conselho de administração na ENBPar; Olívio Napolitano, especialista em Engenharia Nuclear; Ricardo Tadeu, professor da UFRJ; Hellen Miranda, professora da UFRRJ; Roberto Schirru, professor da UFRJ e pesquisador do CNPq; John Forman, geólogo e atual presidente da ABEN; Carlos Aragão, diretor da Finep; João Gonçalves, superintendente de Engenharia da Indústrias Nucleares do Brasil (INB); José Batista, consultor técnico da Agência Naval de Segurança Nuclear e Qualidade da Marinha do Brasil; e Cláudio Pereira, professor e pesquisador da Comissão Nacional de Energia Nuclear.

De acordo com a copresidente da XI SEN, Jhulia Schmidt Ceccon, os alunos da Engenharia Nuclear podem esperar um conteúdo com ênfase significativa em tecnologias emergentes e desenvolvimentos no campo da energia nuclear.

– Para esta edição, espera-se que haja uma abordagem ampliada sobre segurança, eficiência e sustentabilidade, juntamente com um foco renovado em pesquisa e inovação para lidar com os desafios atuais e futuros. A expectativa é que essa edição ofereça insights valiosos para o aprimoramento da educação e treinamento dos futuros profissionais da área.

A cerimônia de abertura será no dia 28, às 10h, no auditório Horta Barbosa. Quem estiver interessado, pode conferir a programação completa e fazer inscrição pelo site. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail seen@poli.ufrj.br.

Soft Skills em Processos Seletivos

Quer saber as soft skills mais importantes para arrasar nos processos seletivos?

Hoje (16), a Diretora Adjunta de Carreira Empreendedorismo da Politécnica e profa. Alice Ferruccio convida todos os estudantes da instituição para participarem de um encontro online sobre o tema.

O evento acontecerá de 16h30 às 17h30, de modo online e gratuito.

Inscreva-se na plataforma: https://verosolutions.6connex.com/event/emprega/login

Oficina Emprega: evento on-line exclusivo para alunos e egressos da Politécnica-UFRJ

VEM AÍ! 

Oficina Emprega: evento on-line exclusivo para alunos e egressos da Politécnica-UFRJ

No dia 23 de novembro (quinta-feira), de 15:00h às 18:00h, temos uma programação exclusiva para você:
● Workshop “Carreiras na Engenharia – Soft Skills” com empresas convidadas;
● Sessões de mentoria e networking com representantes das empresas;
● Sessões de pitch individuais e entrevistas coletivas com recrutadores.

Como participar?
Faça AQUI a inscrição no PoliVagas e garanta a sua participação no evento.

Ressaltamos que o evento é on-line e exclusivo para alunos e egressos da Politécnica-UFRJ e o acesso ao Emprega deve ser realizado com o mesmo e-mail de registro utilizado no PoliVagas (Polimail).

Sobre o Emprega:
Emprega é uma experiência de empregabilidade completa. Disponível durante todo o ano, irá conectar estudantes universitários e recém-formados a uma diversidade de
empresas parceiras, através de eventos virtuais de empregabilidade e atividades de desenvolvimento que vão muito além do que você pode imaginar.
Acesse AQUI.

Participe desse grande evento de empregabilidade promovido pela Diretoria Adjunta de Carreira e Empreendedorismo (DACE) da Politécnica-UFRJ.

XI Prêmio Crea-RJ de Trabalhos Científicos e Tecnológicos

O XI Prêmio Crea-RJ de Trabalhos Científicos e Tecnológicos contemplou 18 trabalhos da UFRJ, que foi a instituições de ensino do Rio de Janeiro com maior quantidade de prêmios conquistados.

A Escola Politécnica da UFRJ foi contemplada com 8 (oito) premiações de seus trabalhos de conclusão: do mestrado do Programa de Engenharia Urbana e de sete cursos de graduação nas engenharias Ambiental, Civil, Metalúrgica, Materiais, Nuclear, Petróleo e Produção. Outras unidades da UFRJ também tiveram trabalhos premiados: Coppe com 5 trabalhos, e Instituto de Geociências (IGEO) com 5 trabalhos.

A cerimônia será realizada nesta quinta-feira (9/11), às 15h, no Clube de Engenharia, com transmissão ao vivo pelo canal do Crea no YouTube. (https://www.youtube.com/@WebTVCREARJ)

Ergonomia e fatores na China: tendências e perspectivas

No dia 11 de outubro, às 12h, o professor do Departamento de Engenharia Industrial da universidade chinesa Tsinghua University e diretor da Sociedade Chinesa de Ergonomia, Liang Ma, irá proferir palestra por videoconferência para estudantes da Escola Politécnica da UFRJ. A iniciativa faz parte do acordo de cooperação entre as duas instituições, apoiada pela International Ergonomics Association e a BRICS Plus Network on Human Factors & Ergonomics.

A apresentação será transmitida na sala F-222 e também pelo canal da Escola Politécnica no YouTube e dará um panorama de pesquisas em FH/E na China e na universidade chinesa e indicará as oportunidades de mestrado e doutorado nesta área do conhecimento para estudantes da UFRJ.

Programa Centelha RJ está com as inscrições abertas

Estimular e fomentar a cultura empreendedora no Brasil, além de incentivar a inovação, é um dos principais objetivos do Programa Centelha que, pela primeira vez, abre inscrições no estado do Rio de Janeiro. A iniciativa oferecerá recursos financeiros, capacitações, suporte e outros benefícios para até 50 selecionados, que receberão até R$ 70 mil em subvenção econômica e R$ 26 mil em bolsas de apoio técnico. As inscrições poderão ser feitas até o dia 11 de outubro.

Promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e a Fundação CERTI, o Programa Centelha no Rio de Janeiro é executado pela Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ), vinculada à Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti RJ).

Para mais informações sobre o edital, o cronograma e todas as informações para submissão no Estado do Rio de Janeiro, acesse: https://www.programacentelha.com.br/RJ/.